JaraguaTec blog

FORMAÇÃO DE GESTORES

  • 0 Comments
  • 14 de outubro de 2014
  • by Victor Alberto Danich
  • Leave a comment

cabecalho

O lançamento do Programa Educacional da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), que faz parte de uma das principais demandas do movimento, configurado por meio de um formato modular em parceria com o Sebrae, destinado a oferecer oportunidades para os gestores das incubadoras de empresas e parques tecnológicos, torna-se a etapa necessária para a construção de mecanismos de gestão unificados para o sucesso das políticas público-privadas na área da inovação tecnológica no Brasil. Seguindo os passos da evolução do empreendedorismo inovador brasileiro, fortalecido a partir da década de 80, o movimento passou a ser uma rota atrativa aos egressos das universidades, como também para os investidores, que encontraram um nicho importante para realizar negócios com as empresas nascentes. Perante a dinâmica desse cenário, passou-se a privilegiar a formação de profissionais capacitados para atuarem em ambientes de inovação.

As exigências destes profissionais centrados num perfil que permita circular de forma dinâmica entre o mercado, novas tecnologias e fontes de recursos para impulsionar empresas, não existem atrelados a programas formais de pós-graduação, de modo a enquadrar os gestores de incubadoras e parques tecnológicos nessa modalidade. Geralmente, tais profissionais terminam encontrando alternativas na própria realidade de seus trabalhos, sem que houvesse algum programa no Brasil que atendesse esse tipo de demanda específica. Perante tal situação, a Anprotec lançou oficialmente em julho deste ano o Programa Educacional, que tem como objetivo a formação de gestores, empreendedores e profissionais vinculados a instituições de fomento à inovação.

O diretor técnico do Sebrae, Carlos Alberto dos Santos, cita uma pesquisa realizada recentemente pelo Sistema, na qual constata a carência de gestores especializados na gestão de incubadoras, principalmente nesse tipo de capacitação específica. A profissionalização das incubadoras parte dessa premissa, já operacionalizada através da implantação das diretrizes estabelecidas pelo Centro de Referência para Apoio de Novos Empreendimentos (CERNE), pelas quais é introduzido um processo de incubação sistematizado, com as boas práticas adotadas pelas incubadoras de maior sucesso no mercado. Para completar e institucionalizar o processo, é necessário que os gestores que participam do programa tenham uma visão de futuro para a região na qual a incubadora está instalada, de modo que o ambiente induzido colabore com o desenvolvimento local. Desse modo, a plataforma educacional procura definir requisitos e conhecimentos fundamentais para a geração e desenvolvimento de empreendimentos inovadores no Brasil, na qual a proposta passa por conceitos básicos e avançados desses ambientes: ecossistemas de inovação, planejamento e implantação de incubadoras, assim como atração e seleção de novos empreendimentos que contemplem o desenvolvimento de gestão empresarial. Tal sistema modular compreende uma estrutura básica que envolve seleção de currículos, criação de material preparatório e individual pré-módulo, com dinâmicas e avaliações, além de um ambiente de interação das turmas, destinada à coparticipação das práticas seguintes de forma integrada – que envolve quatro módulos distintos – sendo que o último finaliza com a formação da carreira de Gestor de Territórios de Inovação, completando o ciclo.

0 Comments